Compre pelo WhatsApp

Você sabe como tratar o câncer colorretal?

cancer-colorretal

O câncer de intestino se caracteriza pela formação de tumores no intestino grosso, especialmente na região do cólon e do reto (imediatamente antes do ânus). Esse tipo também é conhecido como câncer colorretal.

Na maioria dos casos, trata-se de uma patologia curável e tratável se for detectado de maneira precoce. O grande problema é que, aqui no Brasil, temos a cultura da medicina curativa, ou seja, só procuramos o médico quando há algo fora do normal.

Aliás, muitos desses casos de câncer têm origem em tumores benignos e que poderiam ser removidos caso o paciente tivesse realizado os exames de rotina.

Bom, a melhor arma que temos contra qualquer doença é a informação. Por isso, confira abaixo mais detalhes sobre o câncer colorretal!

Quais são os fatores de risco?

Quem tem mais chances de desenvolver o câncer colorretal e em quais situações? A estimativa de acordo com o Inca é que em 2020 sejam diagnosticados mais de 40 mil novos casos.

Existem alguns fatores que não são modificáveis como é o caso da idade. Pessoas com mais de 50 anos apresentam mais chances de desenvolver a doença e também aquelas com histórico familiar. Há outras doenças hereditárias que também são fatores de risco como: FAP (Polipose Adenomatosa Familiar) e também o câncer colorretal sem polipose.

Pessoas que possuem Síndrome de Crohn e Retocolite Ulcerativa também possuem maiores chances de desenvolver o câncer.

Mas há alguns fatores que devem exclusivamente do indivíduo e dos hábitos alimentares dele. Por exemplo, ter uma alimentação saudável é de fundamental importância para o câncer colorretal e também a obesidade. Quem é obeso deve procurar o tratamento e cuidar desse problema o quanto antes.

Quais são os principais sinais e sintomas?

Bom, para saber se há algum problema é necessário analisar os sinais e sintomas. Se forem situações isoladas não há com o que se preocupar, basta continuar fazendo os seus exames de rotina.

Por exemplo, se você teve uma diarreia hoje não significa que pode estar com câncer colorretal. É importante pensar nos alimentos consumidos durante o dia, consumo de medicamentos e nível de ansiedade.

Mas se esse quadro persiste, então o melhor a fazer é marcar uma consulta com um gastro de sua confiança, especialmente se as fezes vierem acompanhadas de sangue. Vejamos abaixo outros sinais e sintomas:

  • prisão de ventre (alterna com períodos de diarreia);
  • perda de peso mesmo com a alimentação normal;
  • anemia;
  • sensação de fadiga;
  • inchaço no abdome;
  • fezes finas e compridas;
  • dor ou desconforto na região do abdome.

Na maioria dos casos, esses sinais e sintomas não são causados pelo câncer, mas de qualquer forma é preciso consultar o médico. Qualquer problema de saúde, quando não tratado, pode se agravar consideravelmente.

Quais os tratamentos para o câncer colorretal?

Tudo depende do estadiamento, ou seja, no momento do diagnóstico o médico determinará o grau de avanço da patologia para aí sim, determinar o tipo de tratamento. 

Tratamentos locais

São terapias que afetam diretamente o tumor, sem necessariamente afetar outras partes do corpo. É o caso da radioterapia ablação, embolização e cirurgia. São muito utilizados para os casos de câncer colorretal no estágio inicial, mas podem fazer parte de outros tratamentos.

Tratamentos sistêmicos

São os casos de tratamentos por meio de medicamentos via oral que atingem todas as células cancerígenas existentes no organismo. São os casos das imunoterapias e quimioterapias que, de certa forma, atingem todo o corpo.

A verdade é que as terapias sistêmicas e locais podem se misturar a depender do caso do paciente. Por exemplo, ele pode estar migrando do grau 1 para o 2 e, em casos assim, as terapias precisam se complementar.Quer saber como reduzir as chances de ter câncer colorretal? Confira 6 principais fatores de risco e formas de prevenção!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *