Para que serve e como usar o medicamento Tecfidera 240mg

Tecfidera

A esclerose múltipla é uma doença crônica do sistema nervoso central que ocorre com a inflamação da mielina que é feito o tratamento com medicamentos. Esta, por sua vez, é o material que protege e isola os nervos do corpo humano, permitindo a transmissão entre os impulsos nervosos com rapidez.

Estudos comprovaram que a esclerose múltipla é uma doença autoimune: o sistema imunológico, por fatores que ainda são desconhecidos e não comprovados pela ciência, causa danos à mielina, afetando a forma como ocorre a comunicação entre o cérebro e as outras partes do corpo.

Como consequência, os nervos perdem sua capacidade de conduzirem impulsos elétricos a partir do cérebro, ou a condução ocorre de forma distorcida ou interrompida, causando os sintomas ou seu agravamento, quando já existentes, os denominados “surtos”. Uma das ramificações da Esclerose Múltipla é a sua classificação em Esclerose Múltipla Recorrente-Remitente (EMRR), que atinge cerca de 85% dos portadores da doença e caracterizada, principalmente, pela alta incidência dos surtos por um período superior a 24 horas.

Apesar de não ser uma doença contagiosa, a EMRR não tem cura; há apenas tratamentos que controlam os sintomas e reduzem a incidência dos surtos progressivamente ao longo dos anos. A doença é inicialmente identificada através dos sintomas, como alterações visuais, formigamento da face, sensação de desequilíbrio, redução da coordenação e incontinência urinária, entre outros. Porém, só após o diagnóstico de um médico neurologista e a realização de exames, como ressonância magnética, é possível constatar que o paciente é portador da doença.

A partir de então, inicia-se o tratamento com administração de medicamento via oral, dentre eles o Tecfidera – 240mg, aprovado pela ANVISA em 2013 e, cujo princípio ativo é o fumarato de dimelito, o mais prescrito atualmente no mundo devido à sua eficácia pois reduz a inflamação da mielina e protege as células nervosas dos danos causados pela química liberada durante o ataque autoimune. - Posologia: O medicamento deve ser tomado somente e conforme orientação médica. Geralmente a dosagem estabelecida é a ingestão de uma cápsula, 2 vezes ao dia, nos mesmos horários.

Recomenda-se que, em caso de esquecimento ou perda da dose, não se deve tomar o dobro da dose para efeitos de compensação, bem como deve ser respeitado o intervalo mínimo de 4 horas entre uma dose e outra. A cápsula deve ser ingerida com água e inteira, não sendo aconselhável ser dissolvida, cortada, mastigada ou partida. Em caso de ingestão da dose além da prescrita pelo médico, a orientação é que se busque imediatamente um centro médico portando a embalagem do remédio. - Cuidados: O medicamento pode afetar a contagem de glóbulos brancos, bem como rins e fígado.

Antes da prescrição médica, no entanto, são realizados exames de sangue para a contagem dos glóbulos brancos, que devem ser acompanhados durante todo o tratamento. Deve ser evitada a ingestão do medicamento associada ao consumo de álcool em doses acima de 50mL, o que pode vir a ocasionar inflamação do estômago. Gestantes, Lactantes e grávidas somente podem ingerir o medicamento após recomendação médica.

Nestes casos, o médico irá orientar o tratamento optando ou pela interrupção da amamentação ou buscando outras fontes alternativas que não o princípio ativo do Tecfidera. - Reações Adversas: * Graves: queda na contagem de glóbulos brancos, induzindo a um risco de infecção cerebral. Apesar de grave, é uma reação adversa rara.

Principais sintomas: inchaço da face, lábios, boca, língua e dificuldade de respiração. * Comuns: vermelhidão no corpo e rosto; sensação de calor (“flush”); mal estar; dor estomacal.   Todo e qualquer sintoma ou reação adversa deve ser informados ao médico imediatamente e com urgência, não sendo aconselhável reduzir a dose ou interromper o seu uso do medicamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *