As perguntas mais comuns para Câncer Superficial de Bexiga

As perguntas mais comuns para Câncer Superficial de Bexiga

A bexiga é o órgão no qual é armazenada a urina, que é secretada pelos rins até que seja expelida. Não se sabe ao certo quais alterações levam à evolução do câncer de bexiga.

Entretanto, sabe-se que há uma série de elementos que, quando combinados, levam a uma maior incidência da doença, como o tabagismo, por exemplo.

Tipos de câncer de bexiga

Existem três espécies de câncer que se originam nas células responsáveis pelo revestimento da bexiga. O Carcinoma das células de transição é o tipo mais comum e surge nas células do tecido mais interno do órgão.

O Carcinoma de células escamosas atinge as células planas e delgadas que podem aparecer na bexiga após irritações ou infecções prolongadas. O Adenocarcinoma, por sua vez, é o terceiro tipo de câncer que tem início nas células que fabricam e expelem muco e pode se desenvolver na bexiga após um longo período de inflamação ou irritação.

Quando a doença se restringe ao tecido de blindagem do órgão, é considerado superficial. O tumor que se origina nas células de transferência se espalha por meio do revestimento do organismo, envolve a divisão muscular e se difunde até as partes próximas ou gânglios linfáticos, se tornando um câncer invasivo.

É estimado que cerca de 90% dos tumores classificados como malignos da bexiga apareçam no urolétio, onde boa parte fica detida à mucosa e submucosa. Trata-se dos tumores superficiais, sendo assim, não existe um comprometimento na musculatura.

Perguntas mais comuns sobre o câncer superficial de bexiga

Ainda que o número de casos de tumores de bexiga cresça a cada ano no país, existem muitos pacientes que têm dúvidas a respeito da doença.

A seguir, nós listamos as mais recorrentes sobre o câncer superficial de bexiga e as respostas para elas. Acompanhe:

1. Quais são os sintomas da doença?

O câncer superficial de bexiga conta com três sintomas. São eles: necessidade constante, dor e presença de sangue ao urinar, mas sem fazê-lo de maneira eficaz.

Entretanto, é válido pontuar que tais sintomas também podem estar relacionados a outras complicações do trato urinário. Para poder tratar a doença de forma adequada, é fundamental buscar um diagnóstico.

2. Como se identifica o câncer superficial de bexiga?

Somente através de exames. O diagnóstico pode ser feito através de exames de urina, tomografia e citoscopia. Esse último é capaz de fazer a retirada do material celular ou até mesmo de todo o câncer.

3. Existe alguma maneira de prevenção?

Para evitar que o câncer superficial de bexiga se manifeste, é importante ter hábitos saudáveis, como a prática regular de atividades físicas e uma alimentação balanceada rica em frutas, verduras e legumes.

O cigarro deve ser evitado, pois conforme citamos no início do artigo, o tabagismo eleva o risco de desenvolver a doença.

4. Tem cura?

Sim, mas é primordial que haja um diagnóstico precoce. Quanto mais cedo detectar o câncer superficial de bexiga, mais fácil de tratá-lo. A boa notícia é que a doença pode chegar a aproximadamente 70% de cura.

Em relação aos métodos de tratamento, eles irão variar de acordo com a gravidade da doença.

Todavia, o tratamento mais adequado é com medicamentos. Normalmente, o tratamento com remédio é indicado para a maioria das ocorrências de câncer de bexiga no país.

Além do tratamento via medicamentos, também há as opções de quimioterapia, radioterapia e cirurgia.

Gostou do artigo? Para continuar lendo conteúdos de qualidade, continue acompanhando as publicações do nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *