A importância do apoio psicológico aos familiares de pacientes com câncer

A importância do apoio psicológico aos familiares de pacientes com câncer

Uma doença que cresce e não avisa quando chega. Os variados tipos de câncer, sejam benignos ou malignos, mudam a vida do paciente e de toda a sua família.

Não apenas o tratamento para curar tumores dos enfermos é importante nesse momento, mas o apoio psicológico aos familiares da pessoa com câncer também é imprescindível.

Neste artigo apontamos a importância de ter um acompanhamento de um profissional da psicologia junto à família, desde o momento do diagnóstico, passando pelo tratamento, quando é necessária a cirurgia e, principalmente, quando os métodos utilizados não surtem o efeito esperado.

Saber lidar com o problema

A importância do apoio psicológico aos familiares de pacientes com câncer começa em saber lidar com o problema.

Não é fácil, mas tomar as medidas necessárias pode contribuir para a recuperação e superação.

O primeiro ponto é ter um profissional que aponte que o excesso de cuidados, muitas vezes, mais atrapalha do que ajuda.

Dessa forma, entender quais são os procedimentos e estar preparado para os desafios que essa terrível doença traz são primordiais para que a família seja a base e sustentáculo do paciente que, de acordo com o tratamento e grau da doença, pode estar debilitado para cumprir inúmeras funções básicas.

O papel do psicológico

Um artigo científico da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), de 2003, retrata a importância do papel do psicológico junto à família, principalmente àquelas que estão enlutadas.

Aqui, o principal ponto é de prevenção – o profissional precisa evitar que o sentimento de luto anterior à morte do paciente desenvolva problemas futuros.

Dessa forma, impedir que a família emerja em um conflito psicológico sobre a perda, sem que essa esteja consumada, é um dos principais pontos que o psicólogo deverá trabalhar.

Em duas partes: a primeira, de eliminar expectativas sobre o processo, tornando o quadro aceitável; e a segunda preparando para encarar possíveis momentos de luto.

Procedimentos contribuem

O artigo ainda aponta nove momentos que mostram a importância do atendimento psicológico às famílias:

  • Acolhimento, dando palavra aos familiares;
  • Distinguir fantasia da realidade;
  • Falar a verdade sobre a situação do paciente;
  • Encontrar a pessoa mais ‘forte’ para orientar os demais membros;
  • Não ter a ajuda psicológica como rotina para o problema;
  • Evitar fantasias de curas que vão além do prognóstico;
  • Viver com o paciente os momentos certos;
  • Compreender a situação dos membros familiares mais vulneráveis;
  • Tentar tirar ‘coisas boas’ de toda a situação.

O apoio contribui

Famílias que passam por esse processo e contam com a ajuda de psicólogos podem contribuir para a recuperação e tratamento dos pacientes – e, esses, também precisam de ajuda psicológica, mesmo que seja à parte.

Estudos comprovam que o afeto e a força em momentos como esse podem ser decisivos no quadro clínico do enfermo.

Concluindo, ao encontrar algum membro da família com câncer, é preciso que todos estejam unidos e busquem ajuda – pois, como sabemos, ainda há relutância de vários familiares em serem atendidos por profissionais desse ramo da saúde.

Com união e apoio, através de um tratamento amplamente utilizado em todo o mundo, todo o processo, do diagnóstico a um possível luto faz-se menos agressivos.

Quer ter acesso a mais conteúdos como este?

Acesse o blog da Life Medicamentos, referência em manipulação de quimioterápicos e medicamentos especiais, conhecendo mais sobre a importância desse e outros temas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *