Diabetes: Tipo 1 x Tipo 2

Diabetes: Tipo 1 x Tipo 2

Você certamente já deve ter ouvido falar em uma doença que está intimamente relacionada ao consumo de açúcar: o diabetes. Trata-se de uma patologia de ordem crônica e que não tem cura, porém, atualmente é possível ter uma excelente expectativa de vida com o tratamento de controle, especialmente com mudanças no hábito de vida.

Vamos agora entender um pouco mais sobre o diabetes e seus tipos (1 e 2), como é o tratamento e a prevenção de cada um deles. Acompanhe!

Como o diabetes se desenvolve?

O diabetes está relacionado com a produção de insulina. A insulina é um hormônio anabólico (cria tecido) produzido pelo pâncreas e que tem como principal função levar o açúcar para dentro das células ou transformar o carboidrato em moléculas de gordura para serem armazenadas. Nos dois casos, a insulina retira a glicose da corrente sanguínea para levá-la às células.

Quem tem diabetes possui uma grande quantidade de glicose no sangue por causa da pouca insulina que o corpo produz. Assim, o corpo não consegue usar a glicose da maneira ideal e é daí que aparecem alguns sintomas como o cansaço constante.

Quais são os tipos de diabetes?

Diabetes tipo 1

Quem tem diabetes tipo 1 possui um problema genético no qual o próprio sistema imune ataca as células beta do pâncreas, responsáveis pela produção de insulina. E, se não há insulina o suficiente, os níveis de açúcar no sangue ficam elevados. Esse tipo costuma afetar cerca de 5 a 10% das pessoas com diabetes e é mais comum em jovens. 

Diabetes tipo 2

Representa praticamente 90% das pessoas com diabetes e atinge mais a população idosa. O diabetes tipo 2 costuma se desenvolver por conta de uma alimentação com excesso de açúcar durante anos. O pâncreas chega em um ponto de “cansaço” no qual não consegue mais produzir a quantidade de insulina suficiente para aquela grande quantidade de glicose.

Quais os fatores de risco?

Os fatores de risco para o diabetes depende do tipo. Por exemplo, no caso do diabetes tipo 1, que a causa é genética, é mais comum em pessoas que possuem parentes próximos com o mesmo problema. 

Já no caso do tipo 2, são pessoas que, além da causa genética, apresentam outros fatores de risco como hipertensão, altos níveis de colesterol (LDL), está acima do peso, entre outros.

Quais os sinais e sintomas?

Pessoas com diabetes costumam apresentar alguns sinais e sintomas como sentir sede em excesso e urinar em demasia, alteração na visão, problemas de impotência, infecções com fungos tanto nas unhas quanto na pele, feridas que demoram de cicatrizar, mais fome do que o normal, entre outros.

Se você consegue identificar que está com algum ou alguns sem ter uma explicação para isso, o melhor a fazer é consultar um médico.

Como é feito o diagnóstico?

O exame de sangue consegue dar uma pista quando a pessoa está com diabetes. As taxas de glicose costumam aparecer altas todas as vezes que é realizado. A partir do momento que um exame detecta uma elevada taxa de açúcar no sangue, outros exames mais específicos precisam ser realizados.

É feito o exame de Curva Glicêmica que é realizado em diversas etapas e amostras de sangue são coletadas a cada 30 minutos. A cada intervalo, o paciente é orientado a ingerir um xarope de glicose. Ao final, é possível ter o diagnóstico.

Como ocorre o tratamento?

O tratamento a ser feito vai depender de cada paciente e da condição de saúde de cada um. Em um primeiro momento, o mais urgente é controlar o nível de glicose na corrente sanguínea e isso pode ser feito pelo uso de alguns medicamentos, entre um deles a insulina.

Em outros casos, a mudança de estilo de vida pode oferecer a melhora desejada. Adequar a dieta e criar uma rotina de atividade física é essencial. Para alguns casos, o controle do nível de glicose no sangue só consegue ser realizado pela aplicação de insulina, mas é preciso analisar cada caso.

Quer receber mais informação para cuidar bem da sua saúde? Então, siga-nos nas redes sociais: Instagram, Facebook e Linkedin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *