Compre pelo WhatsApp

Obesidade: Um problema em várias idades

Já se foi a época em que bebê gordinho e criança rechonchuda eram sinônimo de saúde.

Atualmente, com os avanços da medicina e dos medicamentos, a obesidade é considerada uma doença, contando, inclusive, com um CID (Classificação Internacional de doenças e Problemas relacionados à Saúde), dado pela Organização Mundial de Saúde.

Por isso, independente da fase da vida, a obesidade pode ser um problema de cunho estético, emocional e fisiológico, que dificulta a vida da pessoa, causando diferentes transtornos.

Entenda como esse problema pode afetar cada fase da vida:

Obesidade na infância

Crianças obesas tendem a se tornar adultos obesos. Todos já ouvimos essa frase porque ela representa uma verdade alarmante sobre a realidade.

No Brasil, existem em torno de 2 milhões de casos de crianças obesas, o que configura um problema de saúde pública.

Com a vida nas grandes cidades, as crianças não só estão acostumadas a ficar em casa, praticando pouco exercício físico, na forma de brincadeiras comuns nessa idade, como também estão muito mais expostas a comidas industrializadas e alimentos processados.

O sedentarismo e a dificuldade de discernir entre alimentos de verdade e comida sem valor nutricional pode acarretar sérios problemas futuros.

Na obesidade infantil é essencial um acompanhamento com médicos e a realização de exames para verificar a saúde da criança.

Obesidade na adolescência

Na adolescência, o problema da obesidade é acrescido de um fator emocional muito grande.

Como os obesos tendem a ser discriminados e pouco aceitos socialmente, as meninas, principalmente, mas os meninos também, tendem a sofrer todo tipo de recriminação estética, em relação ao formato dos seus corpos.

Obviamente, que nos casos de obesidade na adolescência o problema também está relacionado à saúde. Contudo, esse é o momento da vida em que o fator estético e de aceitação pelo grupo é maior.

Assim, a obesidade na adolescência pode acabar ligada a casos de depressão e outros transtornos mentais.

O importante nesses casos é buscar ajuda e entender que a obesidade é uma doença com vários outros fatores de riscos associados. O uso de medicamentos pode ser uma alternativa para sanar o problema.

Obesidade na vida adulta

Na vida adulta, a obesidade ganha uma característica agravante. Como já ultrapassamos a fase de inserção social, convivemos com um grupo de pessoas que nos aceitam e temos empregos que pagam as contas, a tendência é acreditar que estar obeso é comum e não representa nenhum dano futuro para sua saúde.

Muitas vezes, indivíduos com facilidade para ganhar peso ignoram o consumo de alimentos saudáveis e transformam uma simples barriguinha, numa circunferência abdominal indicativa de problemas cardíacos (mulheres = 88 cm e homens = 102 cm).

Nesses casos e em outros de obesidade muito acentuada, a necessidade de intervenção do problema, com medicamentos, pode ser necessária.

O SAXENDA é uma das alternativas disponíveis no mercado, que junto com acompanhamento médico e exames é uma forma possível de sanar o problema.

Contudo, é importante ter em mente que nenhum medicamento faz milagres e que só podem ser consumidos com orientação médica.

Obesidade na terceira idade

Das três etapas anteriores, a terceira idade é o momento em que a obesidade pode representar um problema de saúde significativa.

Com o desgaste natural dos anos, se a pessoa idosa ainda estiver exposta à sobrecarga nas articulações, a qualidade de vida pode ser bastante prejudicada.

O ideal é evitar o problema da obesidade, mantendo uma vida saudável, com exercícios físicos, boa alimentação e consultas periódicas ao médico.

Quer conhecer mais sobre a Life Medicamentos? Então acesse nosso site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *