Tabagismo X Câncer de Boca

Tabagismo X Câncer de Boca

De acordo com a OMS, o hábito de fumar mata mais de 8 milhões de pessoas por ano no mundo. Apesar do Brasil ser referência para o mundo no combate ao tabagismo, a estimativa de acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer), é de que mais de 400 brasileiros morram todos os dias por conta da dependência da nicotina.

São, de fato, números muito expressivos e muitos deles estão relacionados ao câncer de boca, uma patologia que está diretamente relacionada com esse péssimo hábito. 

Se você precisa saber um pouco mais sobre o assunto está no lugar certo. Confira abaixo as principais informações sobre esse problema de saúde.

O que é câncer de boca?

É um tipo de câncer que afeta principalmente os lábios e a cavidade oral como um todo, especialmente as laterais da língua. Em pessoas brancas é mais comum ver o câncer se desenvolvendo no lábio inferior. 

Quais fatores estão relacionados ao câncer de boca?

O que pode causar o câncer de boca? Será que apenas um único fator é o responsável ou um conjunto de fatores?

80% dos casos de câncer de boca são de pessoas que fumam e as chances são diretamente proporcionais à quantidade de cigarro que consomem por dia e a quantos anos consome. Pessoas que fumam têm 6 a 16 vezes mais chances de desenvolver o câncer de boca.

Esse tipo de câncer também está associado a outros fatores como consumo de álcool, idade (quanto mais avançada, maiores as chances), sexo (principalmente sexo oral), HPV (pode causar o câncer de boca também), imunossupressão, alimentação e exposição ao sol. 

Todos esses fatores listados podem provocar também outros tipos de cânceres, mas o tabagismo é o que mais pode provocar o câncer de boca.

Quais são os principais sinais e sintomas?

O sinal mais comum nos casos de câncer se boca são as feridas na região que não cicatrizam. Também pode estar presente uma dor que não passa nem sob o uso de medicamentos. Nesse caso, a pessoa já está em uma fase mais avançada do câncer. 

Também é comum aparecer áreas ou pontos esbranquiçados ou avermelhados em partes da boca e uma irritação na garganta, como se estivesse com algum alimento preso nela. Veja outros sinais e sintomas comuns:

  • mudanças na voz;
  • perda de peso;
  • mau hálito persistente;
  • dificuldade de mastigar e engolir;
  • dificuldade para movimentar a língua e a mandíbula;
  • inchaço na mandíbula.

Como fazer o diagnóstico precoce?

Se você perceber uma ferida na boca que, depois de 15 dias, ainda não cicatrizou, esse pode ser um sinal de que algo está errado. Se for o caso, o melhor a fazer é procurar um médico ou então um dentista e explicar o que está acontecendo. Ele fará exames não só clínico como físico e assim poderá dar o diagnóstico.

O diagnóstico é realizado por meio de uma série de exames como o exame físico, biópsia da lesão, identificação do estadiamento da doença, exames de exceção, pré-operatório e também com suporte pré-operatório.

Como é feito o tratamento?

Quando o diagnóstico é feito no início do câncer, 80% dos casos têm chance de cura. O tratamento costumam envolver a cirurgia ou radioterapia ou as duas técnicas juntas. Só depois de exames e da avaliação do médico é que o tipo de tratamento que será feito vai ser determinado.

O mais importante é seguir todas as orientações do seu médico e seguir os passos do tratamento. Se abster totalmente do tabagismo é fundamental já que ele é, provavelmente, um dos motivos pelo qual o paciente desenvolveu o câncer de boca.

Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a cuidar melhor da saúde!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 6 =